Fertilizante Foliar – (6,8%Cu – 3,1%S)

 

Dados Técnicos:
Densidade: 1,18 g/mL
pH: 9,5 a 10
Natureza física: Solução Verdadeira (Fluído)

Garantias:

Cu sol. água = 6,8% (80,24 g/l)

S sol. água = 3,1% (36,58 g/l)

 

REG. MAPA: SP-09849-10025-2

Tab Title

O Glucona de Cobre é um fertilizante, à base de cobre e enxofre, complexado com ácido glucônico, indicado para correção das deficiências nutricionais, desses dois elementos de sua fórmula. Produto a ser utilizado via Foliar. Seu destaque se dá pela atuação em processos enzimáticos na fotossíntese.

GLUCONA DE COBRE é indicado para a prevenção e correção das deficiências de Cobre e Enxofre.Indicado para recuperação de áreas depauperadas, causada por stress pós-colheita, fatores climáticos, entre outros.

Culturas

Doses mL / 100L

Hortaliças

 

Berinjela, Jiló, Pepino,

 

Pimentão, Tomate Alface e

100 – 200

Outras Folhosas

 

Curcubitáceas

 

Melancia, Melão, Abóbora e

100 – 200

Abobrinha

 

Frutíferas

 

Morango, Abacate, Abacaxi,

 

Maracujá, Manga, Banana, Caju,

 

Kiwi, Goiaba, Atemóia,

100-200

Nectarina, Pêssego, Ameixa,

 

Maça, Laranja, Limão, Tangerina,

 

Mamão e Uva

 

Industriais extensivas

 

Batata, Soja, Feijão, Milho,

100 – 200

Sorgo, Trigo, Café, Algodão e

 

Cana – de – Açúcar

 

AS DOSES PODEM VARIAR ENTRE O MÁXIMO E O MÍNIMO RECOMENDADO, DE ACORDO COM A CULTURA E O ESTÁGIO FISIOLÓGICO EM QUE SE ENCONTRA A MESMA.

CONSULTE SEMPRE UM ENGº AGRONÔMO.

• Colocar no tanque pulverizador metade da água a ser utilizada. Adicione o GLUCONA DE COBRE e em seguida complete com o restante da água, mantendo sempre a agitação;

• Em caso de dúvida, realizar um teste em uma pequena área para verificar a sua compatibilidade química utilizando as mesmas doses recomendadas;

• Após a aplicação, lavar todo o equipamento com água em abundância.

•  Armazene em lugar fechado, seco, arejado e em temperaturas ambientes;

•  Manter embalagem fechada após o uso e longe do alcance das crianças e animais;

•  Manusear o produto sempre utilizando EPI (equipamento de proteção individual);

•  Em caso de contato direto com os olhos ou prolongado com a pele, lavar a região atingida com água em abundância, especialmente os olhos;

•  Em caso de ingestão procure imediatamente um médico levando a embalagem e o rótulo do produto.

As informações e recomendações são frutos de rigorosos estudos e ensaios. Contudo na utilização podem intervir numerosos fatores que escapam ao nosso controle (preparação das misturas, aplicações e dosagens) e como garantimos a composição do produto, o produtor será responsável pelos danos causados (falta de eficácia, toxidade em geral e etc) por não respeitarem as instruções aqui presentes.

Avaliação do GLUCONA DE COBRE, FITOFOS COBRE e FITOFOS-K PLUS quanto ao efeito de
proteção de cortes de poda da infecção por Botryosphaeria dothideo (2012-2013).

Executores: Rosa Maria Valdebenito Sanhueza e Geraldine de Andrade Meyer.
Instituição executora: Proterra Engenharia Agronômica
Instituição solicitante: WISER – Agro Comercial Wiser Ltda

Resumo do trabalho

O ensaio foi conduzido em mudas de macieira da cv. Royal Gala, e se compararam:
Testemunha inoculada e não tratada; Testemunha podada e sem inoculação ou tratamento;
Fulland 0,2%; Glucona de Cobre 0,1%; Glucona de cobre 0,2%; Fosfito de Cobre 0,2% e Fosfito
de Potássio 0,2%. As plantas foram podadas, imediatamente tratadas e sete dias após a
pulverização, segmentos dos ramos (3,5 a 4,0 cm) foram retirados e inoculados com
Botryosphaeria dothideo causador do cancro papel. Os ramos inoculados foram colocados em
caixas plásticas preparadas com câmara úmida em uma câmara de luz e 25ºC. Para avaliação da
infecção feita 30 dias após amostras dos ramos foram cultivadas em BDA e aos 10 dias foi feita
a identificação dos fungos associados as amostras cultivadas. O experimento teve
delineamento inteiramente casualizado com 6 tratamentos e 4 repetições, cada uma
constituída por uma planta. Para análise da variância foi usado o programa SANEST e a
comparação das médias realizadas pelo teste de Tukey (p<0,05). Para análise, os dados de
frequência de B. dothidea nas quatro amostras de cada repetição foram transformados com
√x+0,5.
Dos resultados obtidos se concluiu que:

• Os cortes de podas de muda de macieiras podem ser infectados ate 7 dias após o corte
com o inoculo de Botryosphaeria dothideo ;
• A redução da infecção de cortes de poda de mudas de macieiras pode ser obtida pela
aspersão dos ferimentos logo após o corte com GLUCONA DE COBRE a 0,1% ou
FITOFOS-K PLUS a 0,2%.

Para mais informações sobre este trabalho entre em contato através:
E-mail: wiser@agrowiser.com.br
Tel: (11) 4044-4300